Dicas para construir a persona de seu negócio

Toda empresa, independentemente do tamanho, precisa definir, mais cedo ou mais tarde, a persona de seu negócio. Assim, uma persona é definida pela junção de dados e características que envolvem o comportamento dos clientes de uma certa empresa. 

 

Inclusive, é de extrema importância para um plano de marketing dar certo que as organizações deixem bem definido o tipo de persona que elas querem conquistar, afinal todo o plano de marketing é direcionado aos clientes.

 

Primeiramente, entenda o que é persona

Uma persona é como um cliente fictício, ou seja, ele não existe de fato, mas é definido através de dados reais, principalmente a maneira como ele se comportaria em um universo ideal de uma marca ou empresa. 

 

Assim, a definição de uma persona é importante para que as empresas a usem de referência nas ações de marketing.

 

Em estratégia de Marketing como o Inbound Marketing, onde existe a necessidade da criação de conteúdos, ter uma persona bem definida é uma das principais etapas de planejamento para conseguir convencer o consumidor.

 

Em termos práticos, imagine uma empresa que vende peças para motores elétricos. Quais são as pessoas que consomem os produtos? Quando elas resolvem comprar uma peça de motor elétrico? 

 

Responder essas e outras perguntas é o que faz da definição da persona algo importante. 

 

Entenda a diferença entre persona e público-alvo

A principal diferença entre Persona e público-alvo está na forma como as estratégias interagem com esses dois agentes. Quando tratamos de público-alvo, precisamos definir de maneira bem específica com quem estamos falando. 

 

Toda empresa tem o seu público-alvo, que se trata especificamente de um grupo segmentado por uma série de características como idade, condição financeira, faixa etária, localização e interesse de compra de um determinado tipo de segmento.

 

Esse aglomerado de informações é feito de maneira específica para que as campanhas de marketing possam ser direcionadas a todo o grupo, como de empresas terceirizadas de limpeza e conservação

 

Já a persona é algo mais individual, ou seja, o objetivo não é falar especificamente para um público. As estratégias que envolvem uma persona buscam de maneira assertiva interagir com uma pessoa específica. 

 

Desse modo, a forma de ver o público é humanizada e não numerada, isso fará toda a diferença na experiência que esse consumidor terá com a empresa.

 

Conheça quais são os tipos de persona

Pois bem, agora entramos, realmente, na primeira dica de como construir uma persona para o negócio. 

 

Para saber o que você quer construir, antes é preciso saber quais os tipos que estão disponíveis. Por isso, vejamos quais são as personas mais comuns do mercado:

 

  • Audience persona: que consomem os conteúdos da empresa;
  • Proto-persona: ajuda a direcionar estratégias;
  • Brand persona: perfil representando os valores da marca;
  • Buyer persona: para entender os comportamentos e preferências.

 

Cada tipo de pessoa atenderá uma necessidade específica de uma empresa. Voltando para o exemplo de empresas de automação industrial ou peças e afins, é preciso deixar bem claro o tipo de necessidade e objetivos que o plano de marketing deseja atingir.

 

Isso será relevante para que você se aprofunde no conhecimento sobre o público. É relativamente mais fácil definir o seu público-alvo do que entender a maneira como o seu consumidor age. 

 

Então, a definição de uma persona ajuda a entender os trâmites comportamentais que o fazem desistir na fase final de compra, por exemplo. Além de buscar entender o que o cliente está fazendo quando decide pesquisar sobre o seu negócio. 

 

Essas definições deixam mais claro qual o valor que o seu produto exerce para o consumidor, a partir daí será possível definir os canais de comunicação a serem utilizados para conquistá-lo, além de deixar as pautas mais fáceis de serem definidas. 

 

É necessário coletar todas as informações

Vimos até o momento toda a importância de definir uma persona e quais os tipos existentes no mercado. Todas as informações só reforçam a necessidade de coletar o máximo de dados possíveis referente aos seus clientes e possíveis clientes.

 

Até porque a coleta de dados será o principal meio para definir um cliente semi fictício, afinal, estamos trabalhando com projeções reais. As pesquisas a serem feitas devem englobar os seguintes dados:

 

  • Demográficos (idade, gênero, cidade e escolaridade);
  • Pessoal e profissional (rotina, objetivos e desafios);
  • Consumo de conteúdo (redes sociais, veículos de informação e interesses);
  • Hábitos de compra (marcas de uso, forma de compra e locais de compra);
  • Relação empresa (o que levou a busca pela empresa);

 

Todos esses dados devem ser analisados, bem como é importante buscar por padrões de consumo, ou seja, características que se relacionem, deste modo a persona passa a criar vida.

 

Conclusão

Saber trabalhar corretamente a persona do seu negócio é muito importante, principalmente para garantir resultados mais satisfatórios, bem como um alcance mais correto e direto, visando que seu produto ou serviço seja mais valorizado.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.